A alma da montanha do alto do pódio

Profissional de Educação Física, Fernando de Oliveira Paes é adepto da corrida natural – ou corrida ancestral – há cerca de dois anos. Em 2017 fez um curso com Vitor Carrara e Bruno Mascella, duas referências no esporte.

Aos 38 anos, Fernando contou ao Corridas de Montanha um pouquinho de sua história e falou sobre a vitória no percurso longo da Etapa Monteiro Lobato da Copa Paulista de Corridas de Montanha.

“Em 2013 estava lendo uma revista de corrida onde havia uma matéria sobre corrida de montanha. Me interessei e fiz minha primeira inscrição na prova de 10K do Desafio Serras Verdes, em Sapucaí Mirim-MG.  A partir dali não sai mais da montanha.

Monteiro Lobato foi a primeira prova do circuito Corridas de Montanha que eu fiz. Apesar de já conhecer e ter boas referências sobre a organização, eu não conseguia ter disponibilidade devido ao meu trabalho, desta vez por intermédio do Vitor Carrara consegui fazer a prova.

O Clã Ancestral

Achei-a muito desafiadora, mesclando percursos técnicos e de resistência com um ótimo acúmulo de altimetria. Tudo o que um montanheiro de alma adora, exigindo um bom preparo por parte do atleta. Sem contar visual da prova, maravilhoso. E, claro, não posso deixar de falar da organização que foi muito boa, simples e competente.

As provas de montanha muito mais que uma competição. É um aprendizado, no qual você passa a respeitar muito mais a natureza e com certeza passa também a conhecer muito mais os limites do seu corpo.

Correr nas montanhas nos dá sensação de liberdade e de paz em harmonia com a natureza. E se tem uma coisa que aprendi com a montanha, foi respeitá-la.

Posso dizer que após migrar minhas corridas para a montanha, melhorei em todos os aspectos emocionais e físicos. Me sinto mais realizado. Com muito mais ânimo para continuar correndo e participando de provas. Aqui em São Paulo realizo minhas corridas no Pico do Jaraguá, um paraíso em meio a selva de pedra. Hoje consigo alinhar bem os dias de corrida com minha vida familiar.”