‘Espero correr estas provas nos próximos anos’

A  médica psiquiatra Maria Rosana Fernandes, de 54 anos, tem uma forte relação com as montanhas. Moradora de Alfenas-MG, Maria Rosana nasceu em Senador José Bento, cidadezinha encravada nas montanhas do sul de Minas Gerais.  Pratica corrida há cinco anos, quatro deles dedicados às corridas de montanha.

“Acho que já fiz mais de 20 etapas da Copa Paulista, sempre no percurso curto. Correr por essas paisagens exuberantes traz um bem estar inexplicável.  Só quem passa por essas trilhas sabe dizer sobre esse sentimento gerado por esse contato puro e desafiador com a natureza”, diz a médica corredora, que no último domingo (29/04) participou da Etapa Monteiro Lobato.

A médica-corredora conta que os treinos no dia-dia são nas belas estradas rurais de Senador José Bento. Corridas que transformam seus dias e as deixam em condições de encarar percursos como o de Monteiro Lobato.

“São estradas rurais que permitam treinos bem técnicos. E a cada treino fico com a plena sensação de bem estar

Monteiro Lobato

físico e mental. Me sinto revigorada e com potência para enfrentar os desafios do dia-a-dia . Eu diria que o exercício físico me dá conforto. Me deixou também pronta para esta etapa, com trilhas maravilhosas, pesadas, com excelente subida e descida desafiadora. Uma prova selvagem do jeito que corredor de montanha gosta , “selvagem” , do jeito que corredor de montanha gosta”.

Maria Rosana revela que a corrida impactou sua vida de várias formas. Uma delas foi no próprio exercício físico. Até mesmo outras modalidades esportivas.

“A corrida melhorou muito a minha relação com a atividade física. Antes, ir para qualquer treino era uma luta para vencer a preguiça. Agora é um divertimento, uma distração. Hoje, acordar cedo para correr, para caminhar ou andar de bike é um prazer. Espero correr estas provas nos próximos anos”, afirma a corredora, que guarda um sentimento especial pela Etapa Pedra Grande de Atibaia.

“Atibaia é a etapa mais linda. Muito desafiadora. Quando chegamos naquele ponto (da foto), é uma sensação inebriante de alegria e superação. E a paisagem ali é selvagem, impactante. Parece que estamos no topo do mundo . Se não fosse a corrida poderia ficar lá o dia todo . Eu sempre recomendo essa etapa para os amigos”, completa.