Posts Tagged ‘Corridas de Montanha’

Adalto Romualdo: entre a dança e as corridas de montanha

O engenheiro eletricista Adalto Romualdo, 38 anos, começou a correr em 2011, incentivado pelo grupo de corrida da empresa em que trabalhava em São Paulo. O objetivo era fazer uma prova de revezamento. Começou e não parou mais.

Nas montanhas a primeira experiência foi em Paranapiacaba, numa etapa da Copa Paulista de Corridas de Montanha. Adalto conta que achou a experiência fantástica. Conversamos com ele sobre sua evolução depois de uma lesão, sobre as montanhas e sobre a expectativa para 2018.

Como foi sua evolução nas corridas de montanha?

Em 2012 eu me lesionei e deixei de correr. Fiquei praticando só a dança. Em 2015, fora de forma, resolvi voltar a correr. Lembrei de meus tropeços no passado e comecei a fazer diferente. Aprendi que correr não é simplesmente colocar um tênis no pé e achar que está tudo certo. É muito mais que isso. Exige técnica, trabalho de fortalecimento, boa alimentação, descanso e treino. Tudo isso é difícil adquirir sem orientação de pessoas experientes. Em 2016 conheci através de amigos a unidade da run base da Adidas, onde faço atividades físicas voltadas à corrida, assisto palestras e troco experiências com outros corredores. Em uma das provas de montanha fiz amizade com um corredor que me falou do mestre Heroi Fung, que dedica seu tempo orientando atletas amadores e profissionais. Treinar com ele tem acelerado o meu desenvolvimento.

 

Como foi sua participação na Copa Paulista de Corridas de Montanha em 2017?

Comparei meu tempo nas provas de 2016 com as de 2017. Melhorei bem, mas sempre há o que se melhorar. Uma prova de montanha exige muita técnica, resistência e força. Adquirindo isso com o tempo, trocando experiências e fazendo testes. Devemos conhecer nossos limites e nunca colocar a nossa segurança em risco. Conheço corredores que são malucos e fazem coisas que a priori eu não faria. Prefiro levar um tempo a mais em alguns trechos do que ganhar um tombo, uma torção ou seja lá o que for. Então temos que conhecer nossos limites e respeitar isso. Segurança em primeiro lugar sempre.

 

Pode falar sobre as provas que você fez? Alguma etapa em especial?

Todas as provas têm o seu encanto. A que mais chama atenção é o desafio final em Campos do Jordão, que une os corredores das copas Paulista, Fluminense e do Centro Oeste. Mas o circuito todo em que corremos possui muitos desafios, além da beleza dos percursos.

 

Como correr em cenários belíssimos e sempre se desafiando afeta de forma positiva sua vida pessoal e profissional? Que importância as corridas de montanha têm em sua vida atualmente?

Adoro explorar e conhecer lugares diferentes. Este ano mesmo conheci alguns lugares que acredito que nunca iria conhecer se não fossem por essas provas que participo. O próprio exercício da corrida já me proporciona uma limpeza mental incrível. O fato de também se deslocar para um ambiente diferente do meu habitual também ajuda a me desligar um pouco dos problemas do dia-a-dia.

 

O que espera do circuito em 2018?

Em 2018 quero continuar na Copa Paulista passando para categoria ‘longo’. Quero também fazer minha primeira maratona de montanha e assim aos poucos ir explorando novos lugares e novos desafios.

 

É algo que você recomenda a quem gosta de corridas de montanha?

Quem gosta de correr e ainda não se aventurou nas montanhas não pode perder mais tempo. Encontramos todo tipo de atleta nessas provas. Os que buscam melhorar seu tempo, os que não se preocupam com o tempo e correm pelo prazer do esporte e os que nem de correr gostam tanto e preferem fazer suas caminhadas e tirar algumas fotos em meio a natureza. A corrida é contra você mesmo e o desafio e a meta são individuais. Fazemos muitas amizades bacanas durante o campeonato e a cada prova é um encontro em que trocamos novidades e experiências antes e depois da prova.

Comments - What do you think?  Posted by Prudente - 19/02/2018 at 17:38

Categories: DESTAQUES, OLHAR DE QUEM CORREU   Tags:

Luana Medina: a Menina da Montanha

A psicopedagoga de Volta Redonda-RJ Luana Priscila Medina Alves já correu os percursos curto, médio e longo em todas as etapas do Campeonato Fluminense de Corridas de Montanha.  Aos 33 anos, já experimentos de tudo nas montanhas fluminenses e não é por acaso que é chamada pelos colegas corredores de Menina da Montanha.

Corre o Campeonato Fluminense desde 2014 e em 2018 vai para os percursos longos pelo terceiro ano seguido. Confira!

Como a corrida entrou na sua vida?

Comecei a correr com um grupo de amigos da academia do clube comercial onde eu sempre malhei. O objetivo era perder de peso e amenizar a dor da perda do meu amado pai. Acabamos formando uma equipe chamada ATM – Asfalto, Trilha e Montanha.

E as montanhas? Quando entraram nessa história?

Minha paixão pelas montanhas começou quando participei, em 2014, pela primeira vez da etapa de Penedo do Campeonato Fluminense. Fiz o percurso curto. Foi uma sensação inexplicável e inesquecível. Sempre fui apaixonada pela natureza e desde aquele dia não parei mais.

O que sente ao correr em cenários paradisíacos?

Sinto uma sensação de liberdade. Me sinto mais perto de DEUS e do meu pai quando estou correndo nas montanhas. É sensacional.

E a sensação de se desafiar a cada prova?

Jamais imaginei que iria conseguir correr 18 e 24K na montanha. A sensação é diferente para cada prova. Mesmo já conhecendo o percurso, sempre fico ansiosa pensando no que vou encontrar pela frente. É uma sensação diferente. Difícil de explicar.

Como é sua rotina de treinos?

Atualmente dei uma diminuída nos treinos porque meu corpo estava indo à exaustão. Mas minha rotina sempre foi correr 10K todos os dias, mais 1h30 de musculação. Nos fins de semana faço um longão em estrada de terra. Sempre com algumas subidas.

Suponha alguém que esteja pensando se vai ou não vai para uma corrida de montanha… o que você diria para convencê-la a ir?

Que será uma das experiências mais inesquecíveis de sua vida. Diria que quem corre uma vez na montanha nunca mais conseguirá se afastar dela. Que é mágico!

 

Comments - What do you think?  Posted by Prudente - 08/02/2018 at 15:18

Categories: OLHAR DE QUEM CORREU   Tags:

Léo Kenichi e a experiência nas montanhas de Mairiporã

“Nunca falei sobre os kits de corrida. É algo com o que eu não ligo, mas o que me chamou mais atenção, de verdade, foi ter vindo um calendário no kit. E o bom dele é que tem marcado os dias das etapas, os feriados e cada mês tem foto de algum corredor de cada etapa. Quem sabe um dia não sai uma foto minha no calendário hein?! Parabéns à organização em incluir no kit um item útil em nosso dia-a-dia.

Fui nessa corrida sem pretensão de pódio e tempo. Começar a temporada em janeiro é complicado. Ainda estou em preparação de base e fui mesmo pra cumprir a tabela das etapas. É meu desejo fazer todas as etapas. Não quis largar na frente pra não ir na pilha dos que foram pra brigar pelo pódio. Fui mesmo pra fazer um treino específico para as outras etapas do ano.

Aqui havia aproximadamente 4K prova. Já fiz alguns treinos e provas azedos, mas um trecho que tinha que subir na diagonal, nunca. Subi caminhando mesmo, o pé ficava direto virado.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Estava muito feliz em saber que estava no topo da montanha. Cerca de  4,5-5K. Essa foto também representa um pouco das corridas de montanha… a neblina no topo.

 

 

 

 

 

Aqui eu já estava descendo as montanhas. Acumulando mais de 5K. Que que paisagem linda!  Parabéns aos fotógrafos pelos clicks durante o percurso. Ficaram em pontos estratégicos.

 

 

 

Aqui eu já estava nos últimos 3K de prova. Mais de 2K no asfalto e descida. Deu pra desenvolver bem a velocidade. Pace de 4:10, 4:06 e fechando 4:22 os três últimos quilômetros. O último era ter saído abaixo de 4, mas uma caimbra no fim me fez voltar trotando. Os últimos trechos foi na emoção de saber que dava pra correr. Consequentemente ganhei algumas posições.

 

 

 

 

 

 

 

A estreia foi boa. Nono lugar geral e 1º na categoria no percurso médio. Fiquei feliz não só pelo resultado, mas com a experiência que tive sobre as montanhas. É um estilo de prova que temos que usar a cabeça. Se não soubermos dosar a intensidade em determinados momentos, podemos comprometer o nosso rendimento no resto do percurso. Pra quem não conhece ou tem interesse, eu recomendo muito participar dessas provas. O legal delas é que tem pontuação de ranking. Sem contar que a imprevisibilidade na montanha é incrível. E a paisagem, melhor ainda. Coisas que só a montanha nos proporciona.” Léo Kenichi Veja mais: lkrunner.blogspot.com.br

Comments - What do you think?  Posted by Prudente - 05/02/2018 at 12:10

Categories: OLHAR DE QUEM CORREU   Tags: ,

Mairiporã em festa para abertura da Copa Paulista de Corridas de Montanha

Para o staff da Copa Paulista de Corridas de Montanha, incerteza e desconfiança jamais estiveram presentes no período de organização da etapa de Mairiporã, realizada no último domingo (28/01). O resultado foi uma prova digna de abrir um campeonato que promete ser eletrizante até o fim.

Todos os corredores largaram do Clube de Campo de Mairiporã juntos para os três percursos (curto, de 8K; médio, de 12K; e longo, de 19K). No caminho, obstáculos como pedras, trilhas no mato, estradas de terra e algumas subidas que levavam a algum lugar de onde se tinha uma vista deslumbrante. Neste clima, o primeiro corredor a cruzar a linha de chegada foi Renivaldo Santana, que correu os 8K em 43:26. A primeira corredora foi Maiara Gottardi, que cruzou em 1:11:10.

 

Empresária de Ribeirão Preto, Nilza Morais venceu o percurso médio em sua segunda experiência em Mairiporã. A corredora conta a sensação de vencer uma grande subida e chegar no topo da montanha.

“O clima estava uma delícia, fresquinho, terra úmida. Isso favoreceu a prova.  Até a dificuldade em subir a primeira montanha e do Pico do Olho D´água esquecemos quando nos deparamos com aquela vista linda. Não resisti e gritei muito no topo. Mas tudo o que sobe tem que descer. Juro que estava com medo de ver meus dedinhos do pé depois da prova. Foi demais. Estou mega feliz com o resultado. Não esperava vencer.

Que venha São Bento do Sapucaí. Esta eu não fiz por que estava grávida de seis meses. Mas fui acompanhar o maridão. Estou louca para socar o tênis por lá!”, avisa Nilza.

Estudante de Administração em Limeira-SP, Marina Barreto, de 25 anos, apaixonou-se pelas Corridas de Montanha em 2015. Correu algumas provas em 2016 e 2017. Este ano pretende fazer todas a

Nilza Morais

s etapas e lutar por uma boa posição no ranking. Começou bem, vencendo o percurso curto em sua faixa etária.

“A prova foi sensacional. Fiz essa etapa pela primeira vez e foi incrível. A superação dos meus limites fez com que cada quilômetro percorrido valesse á pena. Deixei o cansaço de lado, me dediquei e ganhei forças ao ver aquela paisagem que a subida nos proporcionou”, contou Marina.

Fábio Galvão Borges, organizador do evento, conta que a equipe manteve-se focada o tempo inteiro e sempre confiou que o evento seria um sucesso.

“Organizamos a prova com carinho e seriedade. Em alguns momentos tivemos que lidar com a incerteza e desconfiança de algumas pessoas, por conta da questão de saúde pública. Mas não relaxamos. Nossa equipe se dedicou e com o apoio de sempre em Mairiporã, entregamos um ótimo evento. A Copa Paulista terá mais seis etapas e quem quer brigar no ranking tem que ir somando pontos desde já”, disse Fábio Galvão Borges, organizador do evento.

A próxima etapa será em São Bento do Sapucaí, em 11 de março. Haverá etapas ainda  em Monteiro Lobato, Campos do Jordão, Atibaia, Pindamonhangaba e Santo André.

Para mais informações, resultados e calendário: www.corridasdemontanha.com.br

Fotos da prova: www.facebook.com/corridasdemontanha

Próxima etapa – 11/03 – São Bento do Sapucaí

Copa Paulista de Corridas de Montanha

Etapa Mairiporã – Resultados

Feminino – Curto

1º – Maiara Gottardi  – 1:11:10

2º – Andrea Cristina Italiano de Almeida – 1:12:00

3º – Mara Regina de Sousa –   1:14:25

Masculino – Curto

1º – Renivaldo Santana – 0:43:26

2º – Valmir de Moraes –  0:46:39

3º – Jose Gomes da Silva Filho – 0:50:22

Feminino – Médio

1º – Nilza Morais – 1:24:27

2º – Fernanda Rocha Bucater – 1:27:19

3º – Cleonice Gomes – 1:36:38

Masculino – Médio

1º – Edvando Aparecido Nogueira – 1:03:59

2º – Paulo Edson dos Santos – 1:11:14

3º – Renato Rafino da Silva – 1:16:26

Feminino – Longo

1º – Patricia Capelini – 2:15:42

2º – Patricia Aguiar – 2:15:54

3º – Analice Salvanini – 2:23:24

Masculino – Longo

1º – Ederson Nunes Silva – 1:51:32

2º – José Luiz Silva Gomes – 1:56:34

3º – Paulo Pinto de Araujo Neto – 1:57:23

Comments - What do you think?  Posted by Prudente - 29/01/2018 at 20:44

Categories: NOTICIAS   Tags: ,

Chegou a hora de correr em Ilha Grande: inscrições abertas para mais uma etapa do Campeonato Fluminense de Corridas de Montanha

Estão abertas as inscrições para a etapa Ilha Grande do Campeonato Fluminense de Corridas de Montanha. A prova, em 22 de abril, terá disputas em três distâncias: o percurso curto, de 6K; o médio, de 12K; e o longo, de 18K. Ilha Grande será a terceira das sete etapas da competição. Importante para quem briga por uma boa posição no ranking.

“Essa prova tem o percurso longo um pouco mais curto que as outras etapas. Cada prova é uma boa opção para envolver a família num fim de semana de lazer e esporte. Esta é especial já que sábado é feriado nacional. O lugar é paradisíaco e depois de relaxar por dois dias os competidores vão ter de se aventurar pela ilha. Talvez seja uma das melhores oportunidades de conciliar corrida com lazer em família”, diz Fábio Galvão Borges, organizador do evento.

A arena da prova será em Araçatiba, a segunda mais importante comunidade da ilha em atividade turística e ponto de partida para passeios de barco e ótimas caminhadas ecológicas. O ponto alto ali é a transparência das águas calmas.

Fábio ressalta o aspecto competitivo da prova e a disputa por pontos importantes no ranking, mas lembra que outra característica do trail run e das corridas de montanha é a cooperação e a diversão, buscando a harmonia com a natureza.

“Nas corridas de montanha é preciso ser ecologicamente correto, por isso damos na largada e na chegada todo o apoio de hidratação ao atleta, mas no percurso ele deve ser autossuficiente. Nas nossas provas não há pontos de hidratação no percurso”, avisa o organizador.

Ilha Grande é uma das 365 ilhas que formam o município de Angra dos Reis, na região sul fluminense. A ilha é a maior do arquipélago,  ideal para aventuras como o trail run. O percurso passa pelo Poção, Comunidade, Estrada de Dois Rios, Antigo Presídio, Museu e Praia de Dois.

As inscrições são limitadas e já podem ser feitas no site do evento, onde também há todas as informações sobre a prova, com regulamento, altimetria, premiação e cronograma.

Campeonato Fluminense de Corridas de Montanha – 2018

Etapa Ilha Grande

22 de abril – largada 8h

Entrega de kits dias 21 e 22

Inscrições e informações: http://www.corridasdemontanha.com.br/beta/eventos/?chave=BkuYkQgAt1Ol7Ujv9SDxdMwd&acao=inscrevase

Comments - What do you think?  Posted by Prudente - 26/01/2018 at 12:22

Categories: DESTAQUES, EVENTOS, NOTICIAS   Tags: , ,

Copa Paulista: inscrições abertas para etapa São Bento do Sapucaí

Bucólica e romântica, a cidade de São Bento do Sapucaí, a 185Km de São Paulo, é uma das mais bonitas e charmosas cidades do interior paulista. Friozinho, boa gastronomia e um cenário de cinema para quem quer curtir um fim de semana. Mas no dia 11 de março este clima de aconchego vai esquentar, com a segunda etapa da Copa Paulista de Corridas de Montanha.

Corredores de todo o estado e também alguns de fora vão se aventurar pela Serra da Mantiqueira e seus contornos incríveis nas distâncias de 6, 12 e 21K em busca de valiosos pontos para o ranking. E quem não correu a primeira etapa, em Mairiporã, ainda pode se recuperar e brigar pelo título da copa.

“Ainda dá tempo de buscar uma boa posição no ranking. Mas a hora é essa. Além disso, é uma boa oportunidade de juntar no mesmo fim de semana uma corrida na montanha e um ótimo passeio em família ou com amigos. São Bento do Sapucaí tem muita riqueza cultural e diversidade de atividades. Tudo se encaixa perfeitamente para quem vai focar na competição. Para antes e depois da prova, há roteiros simples para relaxar e contemplar a vida e o cenário bucólico da região”, avisa Fábio Galvão, organizador do evento.

São Bento do Sapucaí é a segunda das sete etapas da Copa Paulista de Corridas de Montanha. A competição reúne os melhores atletas amadores da modalidade do estado de São Paulo. É o cenário perfeito para o corredor se desafiar e desafiar seus amigos ao longo do ano em provas curtas, médias e longas.

Confira mais sobre São Bento do Sapucaí em:

http://muitaviagem.com.br/sao-bento-do-sapucai-que-fazer/

https://www.saobentodosapucai.sp.gov.br

Copa Paulista de Corridas de Montanha – 2018

Etapa São Bento do Sapucaí – SP

11 de março – largada 8h

Entrega de kits dias 10 e 11

Mais informações: http://www.corridasdemontanha.com.br/beta/eventos/?chave=PC9ct4ixW45NZIDi81v3mcwg&visita=notsave

 

Comments - What do you think?  Posted by Prudente - 24/01/2018 at 08:23

Categories: DESTAQUES, NOTICIAS   Tags: ,

Etapa Maromba abre temporada 2018 do Campeonato Fluminense de Corridas de Montanha

Com um cenário de filme para dar o clima, começou no domingo (21/01) em Maromba, no sul fluminense, a temporada 2018 do Campeonato Fluminense de Corridas de Montanha. A prova teve disputa em três percursos: curto (6K), médio (13K) e longo (24K).

Todos os corredores largaram juntos para um percurso com belezas e obstáculos pelo caminho. Pedras, trilhas no mato, estradas de terra, lama e rios foram ficando para trás. O primeiro corredor a cruzar a linha de chegada foi Luquian de Carvalho Silva, que correu os 6K em 23:14. A primeira corredora foi Glauciele de Oliveira de Souza, que chegou em 30:13.

As assessorias de Niterói marcaram presença: Torres Trail Run e Rafinha Runners

“É sempre bom começar o ano em Maromba. O clima do lugar e as dificuldades no percurso dão o tom do que nos espera no restante da temporada. O Campeonato Fluminense ainda terá etapas em Teresópolis, Ilha Grande, Nova Friburgo, Maricá e Petrópolis. Então, quem quer brigar no ranking tem que ir somando pontos desde já. Teresópolis é a nossa próxima parada”, afirma Fábio Galvão Borges, organizador do evento.

Luiz Otávio e Victoria

O advogado carioca Luiz Otávio Garrido, de 48 anos, mora em São Paulo e correu com a filha Victoria. Para ele, uma forma de celebrar a vida. Confira!

“Curto corrida de montanha há nove meses. Minha primeira prova foi Petrópolis no ano passado. Também corri em Parati e agora em Maromba.
Correr em Maromba foi muito tranquilo. Acompanhei minha filha Victoria, que fez sua primeira prova. Há dois anos ela ficou quatro dias internada na UTI. Quase perdemos nossa filha… Hoje ela me deu essa corrida de presente! Show! O cenário é lindo! Fizemos três travessias de rio sem grandes dificuldades. Como eu já corria os 13K, correr os 6K foi tranquilo. Até ela achou bem tranquilo”.

Paraense de Belém e moradora de Volta Redonda, Cássia Muller começou a correr há cerca de um ano. A corredora migrou do asfalto para as montanhas recentemente e confessa ter se apaixonado pela prova em Maromba.

Cassia Muller

“Fiquei realmente apaixonada. O kit lindo, o incrível contato com a natureza. Só me arrependo de não ter me inscrito no percurso médio, de 13K. Os 6K do curto passaram muito rápido. Já estou sonhando com a próxima etapa”, disse a corredora.

 

Para mais informações, resultados e calendário: www.corridasdemontanha.com.br

Fotos da prova: www.facebook.com/corridasdemontanha

Próxima etapa – 25/02 – Teresópolis

Campeonato Fluminense de Corridas de Montanha

Etapa Maromba – Resultados

Feminino – Curto

1º – Glauciele de Oliveira de Souza  – 30:13

2º – Terezinha de Carvalho da Costa – 32:35

3º – Tatiana de Oliveira Gomes – 33:55

Masculino – curto

1º – Luquian de Carvalho Silva – 23:14

2º – Manoel Rafael Anselmo Pereira – 23:49

3º – Jackson de Oliveira Silva – 25:51

Feminino – médio

1º – Claudia Simões Ferreira – 1:25:12

2º – Elaine de Souza Veiga Martins – 1:26:12

3º – Jaqueline Alves – 1:33:06

Masculino – médio

1º – Ronald Jefferson de Arruda Lopes – 57:04

2º – Aroldo de Carvalho da Costa – 58:21

3º – Everton Costa da Silva – 58:26

Feminino – longo

1º – Beatriz Fernandes – 2:31:29

2º – Edilia de Oliveira – 2:39:02

3º – Hevelyn da Silva Monteiro – 2:47:41

Masculino – longo

1º – Bruno Reis – 2:06:47

2º – Vicente Luiz de Carvalho – 2:08:17

3º – Sergio Lindemann – 2:10:40

Comments - What do you think?  Posted by Prudente - 22/01/2018 at 16:00

Categories: DESTAQUES, NOTICIAS   Tags: ,

Do asfalto para a montanha: a saga de Evandro Steavnev

“Comecei a correr há 10 anos na equipe Corre Corinthians. A intenção era apenas perder peso. Deu certo. Na época eliminei 12 quilos. Então comecei a participar de corridas de rua e a primeira medalha veio nos 5K da Corrida Contra o Câncer de Mama.

Durante três anos corri com eles regularmente. Aí, por conta de uma mudança no trabalho, parei de correr. Fiquei sem tempo. Em dois anos ganhei aqueles 12 quilos de volta e mais três.

Um dia, meu vizinho, Roberto Leandro, viu minha mudança para pior e me convidou para treinar com a FMAX. Topei na hora! Voltei a caminhar. Tentei correr algumas vezes, mas estava pesado e ainda desmotivado. Então ele me desafiou para uma corrida de 5K. Fui lá e consegui. Depois o desafio foi para os 10K. Consegui de novo, mas ainda estava gordo.

Até que ele me chamou para correr a São Silvestre. Confesso que fiquei com medo. Eram 15K e eu ainda gordo certamente não conseguiria completar. Mas topei. A equipe esteve comigo até o fim e completar a prova foi uma vitória.

Então resolvi voltar de vez aos treinos com o mesmo objetivo: perder peso. Resolvi voltar para a equipe Corre Corinthians. Muitas provas e muitos treinos depois eu fiz a minha primeira maratona, a de São Paulo: 5h15min. Resolvi me desafiar e treinar para baixar meus tempos. A última maratona que fiz foi em 3h35min.

Ia dominando o asfalto quando conheci um corredor nato de montanha, o Fernando Campanha. Esse é meu amigo-irmão até hoje. Ele me apresentou às montanhas. Lembro que a minha experiência foi em Mairiporã, Copa Paulista de Corridas de Montanha. Pensei que ia morrer com tanta subida. Eu, corredor de asfalto, não fazia a menor ideia do que vinha pela frente. Quando cheguei no topo da montanha entendi por que aqueles corredores amam estas provas: uma visão espetacular, um cenário maravilhoso. Juntando o suor para chegar lá em cima à adrenalina e a emoção da missão cumprida… Foi uma explosão! Não dá para explicar tudo o que realmente senti. Me apaixonei!

Fui me desafiando cada vez mais, voltei ao peso ideal e passei a ganhar troféus. Correr entre os primeiros! Mas eu queria ir mais longe. Então pedi à minha treinadora na ‘Corre Corinthians’ um treinamento para uma ultramaratona de montanha. Ela me indicou uma prova de 65 em Florianópolis. Treinei muito, fui lá e completei a prova. Nem preciso falar do cenário! Top! Vivi muitas sensações no percurso. Ri, chorei, pensei, cantei, ri de novo… Foram 7h55min correndo naquela montanha. O melhor que já fiz.

Continuei evoluindo. Fechei 2017 como vice-campeão da Copa Paulista de Corridas de Montanha e da etapa nacional, em Campos do Jordão, onde sõ correm os melhores. Fui ficando cada vez melhor. Foi show!

Espero continuar correndo em 2018 e, assim, conhecer outros lugares espetaculares que só a corrida de montanha nos apresenta.”

Evandro Steavnev, 45 anos, comerciante de São Paulo

Comments - What do you think?  Posted by Prudente - 21/01/2018 at 07:59

Categories: DESTAQUES, OLHAR DE QUEM CORREU   Tags:

Campeonato Fluminense de Corridas de Montanha segue com etapa em Teresópolis

Depois da etapa de abertura em Maromba, a disputa pelo topo do ranking no Campeonato Fluminense de Corridas de Montanha segue no dia 25 de fevereiro com a Etapa Teresópolis, na Serra Verde Imperial do Rio de Janeiro. A disputa pelos pontos promete esquentar nas três distâncias: curto, 8k; médio 15K; e longo, 24K.

“A etapa de Teresópolis é uma das mais completas entre todas as provas do ano, considerando o nível técnico e a beleza do lugar. Os atletas terão subidas e descidas na montanha, passagens por trilhas e travessia de rio. Tudo muito bem sinalizado e com staffs prontos para orientá-los. É hora de somar mais pontos no ranking”, diz Fábio Galvão Borges, organizador do evento.

O formato de campeonato tem atraído corredores avulsos e de muitas equipes para as Corridas de Montanha. Com a opção de três distâncias, as provas são uma ótima oportunidade para corredores que estão iniciando nas montanhas, como também para os mais experientes, tornando o evento um ótimo programa para a família e para as equipes.

“É a combinação perfeita para um fim de semana na serra. Competição e turismo em cenários belíssimos e com temperatura amena em pleno verão. Não há desculpa para não somar mais pontos no ranking”, afirma Fábio, lembrando que o Campeonato Fluminense ainda terá etapas em Ilha Grande, Paraty, Nova Friburgo, Maricá e Petrópolis.

As inscrições são limitadas e já podem ser feitas no site do evento, onde também há todas as informações sobre a prova, com regulamento, altimetria, premiação e cronograma.

.

Campeonato Fluminense de Corridas de Montanha – 2018

Etapa Teresópolis

25 de fevereiro – largada 8h

Entrega de kits dias 24 e 25

Inscrições e informações: www.corridasdemontanha.com.br

Comments - What do you think?  Posted by Prudente - 14/01/2018 at 13:44

Categories: NOTICIAS   Tags: , ,

Salomon Speedcross 4 Trail

 

Para os amantes do Speedcross 3, a 4ª edição deste icônico tênis quebra o paradigma do que seria refinamento e qualidade em sua cabeça. Leve, altamente almofadado e com aderência monstra em condições de pista lamacenta, o SpeedCross 4 oferece mais diversão bruta do que nunca.

 

Principal diferença para o antecessor SpeedCross 3: Borracha de arar no solado tem maior aderência ao asfalto e com grip mais próximo para evitar o desgaste maior em terrenos mais acidentados.

 

Essa última versão da série, o Speedcross 4, vem com um padrão de sola que proporciona uma tração ainda maior e com maior durabilidade em função da  caixa durável de PVC Toe.

 

Com uma parte superior resistente a água e à abrasão, galhos e pedras deixam de ser obstáculos para esse novo designer.  Sua malha anti-debris proporciona uma secagem rápida da malha e respirável, e o mais importante mantendo seus pés protegidos e confortáveis ao longo da corrida.

CARACTERÍSTICAS

  • Atualização Sola reestruturada – Apresentando um novo padrão de lug e um número maior de alças de flecha de alta tração para maior aderência.
  • Superior à água – Concede um grau de proteção da água.
  • Leve, resistente à abrasão superior – altamente durável para estender a vida útil de seus sapatos.
  • Durable PVC Toe Box – Fornece proteção de impacto excepcional e durabilidade.
  • Anti-Debris Mesh / Gusseted Tongue – Impede que os detritos de seixos e areia entrem na parte superior e cause desconforto.
  • Sistema Quicklace – minimalista sistema de laço para um ajuste seguro e fácil on / off.
  • Lace Pocket – Para armazenar seu laço impedindo que eles fiquem em seu caminho ou serem danificados na trilha.
  • Sistema Sensifit – Trabalha na base do pé proporcionando um ajuste preciso e seguro e maior conforto.
  • Sensiflex: Suporte e expansão  na área superior do ante pé.
  • Lightweight Muscle: Amortecimento Dinâmico
  • Injeção de EVA – Proporciona maior absorção de choque e amortecimento sob os pés.
  • OrthoLite Sockliner – Palmilha fornece amortecimento sob os pés. Tratados com proteção antimicrobiana. Conteúdo reciclado de pneus para preservar o meio ambiente
  • Suporte de Borracha Contagrip – Borracha de sola altamente resistente e não marcante que proporciona uma aderência excepcional. Ótima tração em superfícies variadas.
  • Alças de Tração Molhadas – Medindo 6mm cada, as alças em forma de flecha geram uma compra extrema, particularmente em trilhas molhadas, escorregadias e enlameadas.
  • Guarda de Lama – Previne a acumulação de lama na sola, garantindo assim a máxima aderência e peso mínimo.
  • Altura da Entressola: 20 mm(Traseiro) | 9 mm (Dianteiro)
  • Peso do Tênis: 290 a 315g (dependendo do Tamanho)


ONDE ENCONTRAR:

Loja Corridas de Montanha
Whats: (63) 984012302
e-mail:loja@corridasdemontanha.com.br

 

 

Fonte: https://www.sportsshoes.com/product/sal1856/salomon-speedcross-4-trail-running-shoes-~-ss17/

Comments - What do you think?  Posted by Fabio Galvão Borges - 28/02/2017 at 16:04

Categories: TECNICAS   Tags: , , ,

Próxima página »